domingo, 7 de novembro de 2021

COLUNA DO DR. ERIVELTON LAGO

 


O GRANDE BANQUETE SÓ PARA OS RICOS 

 Quando eu era menino, a minha mãe contava para mim e meus irmãos muitas histórias. Um dia ela nos contou essa que agora passo a repetir. Disse minha mãe: No tempo passado, muita gente esperava pelo dia em que o reino de Deus ia chegar aqui na terra. Muitas pessoas imaginavam o Reino como uma grande festa, tipo um banquete oferecido ao povo escolhido por Deus. Um dia, quando Jesus Cristo estava jantando com uma família muito religiosa, um dos convidados disse o seguinte: Eu queria tanto estar no banquete de Deus, quando seu reino chegar aqui na terra! Jesus disse ao homem: vou contar aqui uma história para todos vocês dessa mesa: Era uma vez um homem que quis dar uma grande festa. Ele fez os convites e depois começou a preparar um grande jantar. Quando tudo ficou arrumado, ele disse ao seu empregado: Vá na casa de cada uma dessas pessoas que escolhi e diga elas para virem jantar na minha casa! Na primeira casa, o dono estava saindo apressado e disse: diga ao seu senhor que lamento não poder ir à festa dele – disse isso por cima do ombro. – Acabei de comprar uma roça de 100 linhas e preciso dar uma olhada nela. O segundo convidado da lista estava tão atarefado quanto o primeiro. – Não tenho tempo para ir, disse ele: acabei de comprar 200 cabeças de gado e preciso saber se estão todos gordos como disse o vendedor. O empregado, já meio desapontado, foi à terceira casa. Lá chegando, o homem disse o seguinte: Ora, rapaz, acabei de me casar, com certeza o teu senhor não espera que eu vá. Assim, um após outro, os convidados deram suas desculpas. O empregado voltou para casa triste. Meu senhor, todas as pessoas que convidei disseram que estavam ocupados e não podem comparecer ao seu jantar. Porém o senhor respondeu muito zangado: há muita gente que ficaria contente em vir ao meu banquete. Vá pelas ruas, becos e calçadas da cidade, procure todas as pessoas pobres e famintas e traga-as para jantar. Em pouco tempo, o empregado estava de volta, conduzindo um monte de gente faminta, magras e com suas roupas rasgadas. As crianças pobres pulavam de alegria dizendo: vamos comer carne de boi assada, churrasco de carneiro e beber água fria. Os idosos agradeciam a Deus por aquele dia milagroso naquela mesa farta de carne, peixe, farinha, arroz, frutas e sucos à vontade. O dono da casa deu as boas-vindas a todos, porém ainda havia alguns lugares vazios na grande mesa. Então disse o homem: quero que a minha mesa de jantar fique cheia. Assim, disse o senhor ao seu empregado: Vá pelas estradas, feiras e praças, traga com você todos os mendigos e as pessoas que viajam de um lugar para outro. Então minha festa ficará repleta. Nenhum daqueles amigos que primeiro convidei e se recusaram a vir, participará da minha festa. HOUVE UM SILÊNCIO CONSTRANGEDOR quando jesus terminou a sua história. Aí eu perguntei para minha mãe: mas que constrangimento foi esse, mãe? Minha mãe me respondeu: essa história minha mãe, tua avó, me contou. Eu fiz essa mesma pergunta para ela, mas ela não me respondeu.



Nenhum comentário:

Postar um comentário