sexta-feira, 5 de março de 2021

PONTO DE VISTA - FAZER O ÓBVIO - POR DR. JOSÉ DE RIBAMAR VIANA


O povo brasileiro realmente é fantástico. Como se diz, “caso não existisse, o povo brasileiro teria que ser inventado.” Brincadeiras a parte, o fato concreto é que o povo brasileiro é mesmo sensacional.

Certa vez, eu estava assistindo a uma palestra proferida pelo Dr. Antonio Herman de Vasconcellos e Benjamin, Ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), quando ele disse mais ou menos o seguinte: “ ...no Brasil, não basta ser claro, tem que se dizer o óbvio...”.

Em tempos de infecção pelo vírus SARS-CoV-2 que causa a COVID-19 (do inglês, Coronavirus Disease 2019), o Brasil – assim como o mundo – está enfrentando a segunda onda da pandemia ocasionada pelo Covid 19, em decorrência do “comportamento”, ou melhor, da falta de comportamento de um elevado número de pessoas que insistem em não querer vê a realidade nua e crua dos acontecimentos alarmantes, devido o número crescente de doentes e mortos, por falta de cuidados preventivos, cujas medidas sanitárias (lavar as mãos, uso de álcool em gel, uso de máscaras e distanciamento social), são fartamente divulgadas pela mídia e redes sociais, por isso, a meu juízo, a citação do Ministro, “ que no país deve ser dito o óbvio’, parece não ser mais o óbvio, dizer o óbvio (lavar as mãos, uso de álcool em gel, uso de máscaras e distanciamento social), como forma de evitar as consequências óbvias, que é a propagação do vírus.

É certo que Deus é o melhor médico, ele é quem literalmente nos salva. Por outro lado, embora não conste na Bíblia transcrição na íntegra, dizem que Deus disse: “faça por ti que eu te ajudarei.” Portanto, parece ser óbvio, fazer o óbvio (cada um faça a sua parte), diante do recrudescimento dos casos de Covid-19. Porém, não é isso que acontece.

Sendo assim, resta-nos fazermos o óbvio (lavar as mãos, uso de álcool em gel, uso de máscaras e distanciamento social) ou apostar unicamente na esperança de combatermos o vírus sem que cada um, governo e as pessoas, façam sua parte, acreditando apenas no que disse Carlos Drummond de Andrade: “Esperança é a planta que germina mesmo não semeada.” Entao, muita calma nessa hora!

 José de Ribamar Viana, OAB/MA 8521

Um comentário:

  1. Excelente artigo que reflete toda a sensatez do Dr. José de Ribamar Viana.

    ResponderExcluir