quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

COMPORTAMENTO - IDOSOS QUE INGEREM ALCOOL

 



IDOSOS QUE INGEREM ÁLCOOL 

O que a pesquisa certamente constatou, mas não publicou por medo do tal "politicamente correcto", é que os que bebem mais que moderadamente mostram sinais inequívocos de regeneração contínua de neurónios e sinapses, memória de curto e longo prazos melhores que dos "placebos", rapidez de raciocínio e reacções. 

Isto deve-se ao facto de que a pulsação acelerada e de maior intensidade, remove melhor o lixo neural porque envia mais células tronco das medulas ósseas para o cérebro e para todos os órgãos vitais.

Idosos que ingerem álcool têm menos chance de ter demência e Alzheimer!

Um novo estudo divulgado pelo *Instituto Central de Saúde Mental de Mannheim*, na Alemanha, revelou que idosos que continuam a desfrutar da bebida alcoólica são menos propensos a desenvolver demência e Alzheimer.

Segundo o jornal britânico *Daily Mail*, pesquisadores descobriram que idosos que bebem uma quantidade moderada de álcool, possuem 30% menos de probabilidades de desenvolver demência e 40% menos chances de sofrer de Alzheimer do que aqueles que não consomem qualquer tipo de álcool!

Os cientistas pesquisaram idosos com 75 anos ou mais que gostam de beber uma/duas cervejas por dia ou um/dois copos de vinho.

A equipa do instituto estudou mais de 3.000 pessoas nessa idade e elas estavam livres de demência no começo do estudo.

Os pacientes foram examinados duas vezes a cada 18 meses.

De acordo com um dos professores responsáveis pela pesquisa, *Siegfried Weyerer*, 217 idosos que não consumiram uma gota sequer de bebida alcoólica apresentaram sintomas de demência no decorrer do estudo. 

Aqueles que consumiam  tinham cerca de 30% menos de demência e 40% menos de Alzheimer do que os idosos que não consumiam nada.

Segundo os pesquisadores, não foram observadas diferenças significativas de acordo com o tipo de bebida alcoólica consumida.

Nos últimos 31 anos, a associação entre o consumo moderado de álcool e a função cognitiva foi investigada em 71 estudos envolvendo 153.856 homens e mulheres de várias locais com diferentes padrões de consumo.

Segundo o médico *Harvey Finkel*, do *Centro Médico da Universidade de Boston*, "a idade não é razão para abstinência".

É preciso lidar com pessoas idosas viciadas no álcool com mais responsabilidade do que com os jovens.

Mas eles podem tirar mais benefícios para a saúde do consumo moderado do álcool.

*QUE ESPECTÁCULO DE NOTÍCIA!!!*

Antes bêbado, que demente.

*Mãos ao copo!*

Enviado ao blog pelo advogado Dr. Raimundo Emiliano Vieira (Meló)

Nenhum comentário:

Postar um comentário